Tempero Cultural neste sábado (14) em Caruaru

Tempero Cultural neste sábado (14) em Caruaru

14 de dezembro de 2019 0 Por blogem

Última edição do ano comemora aniversário dos idealizadores do projeto e terá música, poesia, cinema, exposição, comilança e desfile de moda

Estão confirmadas para o próximo sábado as comemorações pelos 10 anos do Tempero Cultural, fechando a temporada 2019 com um grande evento cultural que será realizado no próximo sábado (14), com o tema “Trancando a rua e colocando o seu (prato) na mesa”. Também será uma oportunidade para comemorar aniversário dos idealizadores do projeto, Yone Amorim e Antonio Preggo. A festa estava agendada para o último sábado (7), mas precisou ser adiada devido a um problema de saúde que acometeu a anfitriã Yone, já recuperada. A partir das 18h, os convidados vão fazer parte de um verdadeiro caldeirão cultural, com música, poesia, cinema, exposição, comilança, desfile de moda e muita conversa entre amigos.

O cenário será o endereço já muito conhecido e frequentado na Rua Silveira Martins, 173, no Bairro Petrópolis, a Casa do Tempero. Para Yone Amorim o local tem um significado especial. “É nesse lugar que estão as minhas lembranças, pois foi aqui que nasci e até hoje é meu lar. Nesta casa, os traços marcantes de meu pai, João Amorim Santos, se eternizaram no gosto pala comida farta. São lembranças dele e de minha mãe, Sálvia Arcoverde, que dão, até nos dias atuais, um sabor especial a minha memória gustativa”, contou emocionada Yone. Foi na Casa do Tempero que ela abriu o coração para o marido Preggo, com quem criou os filhos Hugo e Júlia. Depois, veio a ideia de abrir as portas para os amigos, sempre com comida e música.

Já Antonio Preggo destacou a novidade desta última edição do ano. “Desta vez vamos receber os nossos convidados fora de casa, ou seja, literalmente vamos trancar a rua para celebrarmos a vida junto de amigos. O momento é de confraternização. “Será para agradecer e nos divertir junto aos artistas que passaram pelo Tempero Cultural ao longo desses 10 anos e que fazem parte da nossa história”, comentou Preggo.

A boa música terá espaço garantido na festa com shows de Riá, Mestre João do Pife, Ivison Santos Trio, Bira e o Bando, Renata Torres, Sol de Canto, Keyller Almeida, Nika Macedo e João Pedro, além do Boi Tira Teima, folguedo popular criado há 97 anos e que é Ponto de Cultura em Caruaru. A comida também é um forte em cada edição do projeto e desta vez os convidados vão poder levar cada um a sua, bem como a bebida, numa verdadeira comilança compartilhada.

Outro ponto alto do domingo será a moda sustentável, com o lançamento da marca de roupas ‘ArmoriVeste’, assinada pela estilista/artista Lucy Celestino. “Estamos preparando um desfile de minha 1° coleção de moda autoral, com vestidos pintados à mão. Eu trago vestidos e blusas inspirada em nossa arte armorial, fruto do Movimento Armorial criado por Ariano Suassuna e que tem como base o folheto de cordel”, explicou Lucy.

Ainda, segundo Lucy, a escolha pela temática veio através de uma peça em cerâmica pintada em estilo armorial. “Essa peça me encantou e me levou a buscar na internet ícones do movimento, onde reencontrei figuras admiráveis como, Antônio Nóbrega em seus musicais e entrevistas, como também de uma admiração antiga pelo mestre Ariano e pelo resultado do próprio movimento armorial, em toda a sua abrangência, na literatura, música, teatro, arquitetura, dança e artes plásticas. Tudo com raízes nordestinas e autenticamente brasileiro”, ressaltou Lucy.

A marca traz roupas confeccionadas em tecidos nobres e cortes simples, trabalhadas com arte em geral e customização. Trata-se de um trabalho autoral, resultando em peças únicas. São verdadeiras telas de vestir. A ideia da estilista é completa ao oferecer, também, alguns serviços como, restauro de peças de vestuário danificadas e fazer transformação de peças. Lucy Celestino atende pelo contato (81) 98811-1911.

Sobre Lucy Celestino – Caruaruense pedagoga de 50 anos, mãe de filha única de 23 anos e tem como parceiro o gaúcho Edison Vicente, paleontólogo, professor e baterista da Banda Sol de Canto, de Recife. A paixão pelas cores e por pintar é desde menina. Teve incentivo cultural na família e logo que se viu gostando muito de ler, escrever, desenhar e, mais que tudo, de pintar. Na adolescência, teve em mãos uma coleção de fascículos cujo nome era Grandes Mestres da Pintura, que trazia suas histórias e fotos de suas principais obras. Tudo ficou guardado na memória e hoje essas lembranças são reveladas através da moda.

Pteggo e Yone