Secretaria de Saúde-PE registra mais de 2 mil novos casos de covid-19 e mais de 50 mortes

Secretaria de Saúde-PE registra mais de 2 mil novos casos de covid-19 e mais de 50 mortes

18 de março de 2021 0 Por blogem

A Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE) registrou, nesta quinta-feira (18/03), 2.139 casos da Covid-19. Entre os confirmados hoje, 130 (6%) são casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) e 2.009 (94%) são leves. Agora, Pernambuco totaliza 325.315 casos confirmados da doença, sendo 34.050 graves e 291.265 leves, que estão distribuídos por todos os 184 municípios pernambucanos, além do arquipélago de Fernando de Noronha.

Além disso, o boletim registra um total de 278.825 pacientes recuperados da doença. Destes, 20.289 eram pacientes graves, que necessitaram de internamento hospitalar, e 258.536 eram casos leves.

Também foram confirmados  laboratorialmente 53 novos óbitos (27 masculinos e 26 femininos), ocorridos entre os dias 22/07/2020 e 17/03/2021. As novas mortes são  de pessoas residentes dos municípios de Abreu e Lima (2), Afogados da Ingazeira (1), Amaraji (1), Bezerros (1), Buíque (1), Cabo de Santo Agostinho (1), Camaragibe (1), Capoeiras (1), Carpina (3), Caruaru (1), Chã de Alegria (1), Feira Nova (1), Igarassu (1), Jaboatão dos Guararapes (4), Nazaré da Mata (1), Olinda (4), Orobó (1), Ouricuri (1), Paudalho (1), Paulista (3), Petrolândia (1), Petrolina (3), Recife (10), São Joaquim do Monte (1), São José do Egito (1), Sertânia (1), Timbaúba (1), Toritama (1), Tracunhaém (2) e Vicência (1). Com isso, o Estado totaliza 11.563 mortes pela doença.

Os pacientes tinham idades entre 19 e 101 anos. As faixas etárias são: 10 a 19 (1), 30 a 39 (2), 40 a 49 (5), 50 a 59 (7), 60 a 69 (10), 70 a 79 (16) e 80 ou mais (12). Do total,  44 tinham  doenças pré-existentes: doença cardiovascular (22), diabetes (18), hipertensão (7), doença respiratória (5), obesidade (5), etilismo/histórico de etilismo (2), tabagismo/histórico de tabagismo (2), doença renal (1), doença neurológica (1), Imunossupressão (1), AVC (1), e doença hepática (1) – um paciente pode ter mais de uma comorbidades. Um paciente não tinha comorbidades e os demais seguem em investigação.

Com relação à testagem dos profissionais de saúde com sintomas de gripe, em Pernambuco, até agora, 27.266 casos foram confirmados e 46.529 descartados. As testagens entre os trabalhadores do setor abrangem os profissionais de todas as unidades de saúde, sejam da rede pública (estadual e municipal) ou privada. O Governo de Pernambuco foi o primeiro do país a criar um protocolo para testar e afastar os profissionais da área da saúde com sintomas gripais.

LEITOS – Durante a coletiva de imprensa online do Governo de Pernambuco, o secretário estadual de Saúde, André Longo, fez um balanço dos últimos esforços do Governo de Pernambuco no enfrentamento à pandemia da Covid-19. Uma das principais estratégias foi a ampliação de leitos voltados exclusivamente para pacientes suspeitos ou confirmados para a doença. O Estado superou, nesta quinta-feira (18), a marca de 2,4 mil leitos, sendo 1.324 de UTI, efetivamente abertos para atender a população.

“A velocidade de abertura de novas vagas de terapia intensiva em Pernambuco é recorde. Desde segunda-feira (15), foram mais de 73 leitos de UTI em todas as regiões do Estado. Para se ter uma ideia, desde o início do mês de março, abrimos 303 novas vagas. Esse número representa cinco vezes a capacidade instalada de UTI no Hospital da Restauração (HR). E é 15 vezes maior que os leitos de UTI que tínhamos em todos os hospitais de campanha estaduais desativados no ano passado”, pontuou Longo.

Das 73 novas vagas, 10 são no Hospital Eduardo Campos da Pessoa Idosa, 10 são leitos pediátricos no Instituto de Medicina Integral Professor Fernando Figueira (Imip), 4 no Cesac unidade Prado, 10 no Hospital do Tricentenário, 3 no Vale do Una, em Palmares, 8 no Neurocárdio (Petrolina), 8 no Hospital das Clínicas (HC/UFPE), 10 no Jesus Pequenino, em Bezerros, e 10 no Hospital Eduardo Campos, em Serra Talhada.

O secretário alertou, no entanto, que mesmo com todos os esforços para ampliar a rede, o sistema de saúde pernambucano está cada vez mais próximo do limite, o que reforça a necessidade de cooperação por parte de todos. “Quem trabalha na área da saúde sabe que não é uma tarefa simples colocar um leito de UTI para funcionar. Seguimos trabalhando para abrir novos leitos, mas, mesmo com os esforços, nosso sistema de saúde está cada vez mais pressionado. A cada dia, o vírus se torna mais perigoso e sua propagação mais rápidos. Sabemos que ampliar o número de leitos é essencial para a recuperação de pacientes graves, mas, neste momento, o esforço precisa ser ainda maior e de todos. A única medida capaz de frear a curva crescente da Covid-19 é reduzir a circulação de pessoas”, reforçou.

MORTALIDADE – Em análise do cenário epidemiológico da Covid-19 em Pernambuco, o secretário André Longo fez um comparativo entre a média móvel de mortes registradas nos últimos sete dias para cada 100 mil habitantes em diversos estados brasileiros. Atualmente, a taxa em Pernambuco está em 0,42 – somente o Estado e o Maranhão estão com taxa abaixo de 0,5.

“O vírus mata. E mata em uma escala assustadora, como já vemos pelas taxas de outros estados, como São Paulo (0,90), Paraná (1,40) e Rio Grande do Sul (2,16), onde a mortalidade é de duas a seis vezes maiores do que a registrada atualmente em Pernambuco. No Rio Grande do Sul, por exemplo, são mais de 200 mortes por dia em média. Aqui, estamos com uma média de 43 óbitos. Mas, se não mudarmos o curso da doença agora, em breve, poderemos chegar no mesmo patamar”, alertou o secretário, reforçando, ainda, o cenário nas redes pública e privada. “É preciso lembrar, mais uma vez, que, se não nos unirmos em um grande pacto em defesa da vida, vão faltar leitos. As pessoas vão morrer esperando vaga de UTI. E o fato de ter plano de saúde ou dinheiro não vai mudar a situação”.

REDES SOCIAIS – A partir desta quinta-feira (18), a Secretaria Estadual de Saúde inicia uma campanha nas redes sociais para conscientizar a sociedade pernambucana durante os próximos dias de quarentena. No material, profissionais de saúde de diversas unidades ligadas à rede estadual compartilham as experiências vividas em um ano de pandemia e fazem um apelo para que a população cumpra as medidas de restrição e fiquem em casa.

 “Se você não se preocupa com a sua vida, pense nos trabalhadores da saúde que estão há mais de um ano enfrentando, diariamente, o medo e o excesso de trabalho para tentar salvar vidas. Não dá para aceitar que, passado um ano de pandemia, alguém ainda não acredite na gravidade dessa doença. Escute quem está cuidando diretamente dos pacientes: o Brasil está vivendo o momento mais difícil de nossa história recente. Então fique atento aos pedidos dos nossos profissionais. Se proteja, respeite as normas sanitárias e fique em casa”, frisou o secretário André Longo.

BALANÇO DA VACINAÇÃO – Pernambuco já aplicou 668.634 doses da vacina contra a Covid-19, das quais 489.363 foram primeiras doses. Ao todo, foram feitas a primeira dose em 185.373 trabalhadores de saúde; 24.466 povos indígenas aldeados; 6.097 idosos em Instituições de Longa Permanência; 35.404 idosos de 70 a 74 anos; 68.386 idosos de 75 a 79 anos; 85.231 idosos de 80 a 84 anos; 83.539 idosos a partir de 85 anos; além de 867 pessoas com deficiência institucionalizadas.

Em relação à segunda dose, já foram beneficiados 134.247 trabalhadores de saúde; 23.230 povos indígenas aldeados; 4.314 idosos institucionalizados; 15.834 idosos de 80 a 84 anos; 932 idosos a partir de 85 anos e 620 pessoas com deficiência institucionalizadas; totalizando 179.271 pessoas que já finalizaram o esquema.

Foto ilustrativa: Teste de coronavírus – AFP.