Alberes Lopes perde mandato de vereador em Caruaru por infidelidade partidária e vai recorrer

Alberes Lopes perde mandato de vereador em Caruaru por infidelidade partidária e vai recorrer

9 de julho de 2019 Off

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) decidiu retirar o mandato do vereador Alberes Lopes, em Caruaru. Ele está afastado do cargo e exerce a função de secretário estadual de Micro e Pequena Empresa, Qualificação e Trabalho.

O TRE entendeu que Alberes cometeu infidelidade partidária ao trocar o Partido Republicano Progressista (PRP) pelo Partido Social Cristão (PSC) em 2018. A votação encerrou em cinco votos a dois contra o secretário.

A Câmara Municipal será comunicada da decisão. Alberes Lopes disse que não cometeu infidelidade partidária e que vai recorrer.

O processo contra o vereador foi movido pelo PRP municipal de Caruaru, mas a sigla desistiu da ação e a Procuradoria Regional Eleitoral passou a integrar o Polo Ativo do feito. Atualmente a vaga de Alberes na Câmara de Vereadores é ocupada pelo suplente Moysés Santos (PRP).

Alberes Lopes vai recorrer de decisão do TRE

Vereador licenciado de Caruaru disse que recebeu uma Declaração de Anuência do PRP ao desfiliar em 2018

O secretário do Trabalho, Emprego e Qualificação de Pernambuco, Alberes Lopes, anunciou, na tarde desta terça-feira (9), que vai recorrer da decisão da Tribunal Regional Eleitoral (TER) que decidiu, por 5 a 2, declarar a perda do seu mandato de vereador de Caruaru, do qual estava licenciado desde que assumiu o cargo executivo estadual, em janeiro.

Alberes Lopes elegeu-se em 2016 e tinha se desfiliado do PRP após receber uma Declaração de Anuência assinada pelo presidente estadual do PRP, Ernesto de Paula. A decisão de afastamento da antiga legenda foi anunciada no início de abril de 2018, poucos meses antes das eleições estaduais. O vereador tinha a intenção de disputar um mandato para a Assembleia Legislativa, mas não levou o objetivo adiante.

“O presidente do PRP, na época, me entregou uma Declaração de Anuência, me disse que eu estava liberado. Eu ia disputar as eleições, mas desisti para apoiar a candidatura do deputado José Queiroz”, destacou. “O PRP, logo em seguida, passou por um processo de fusão com o Patriota”, acrescentou.

“Estou muito tranqüilo. Sei que meu direito é bom, que não cometi infidelidade partidária, porque sai do PRP em 2018 com uma Declaração de Anuência do Partido e existiram justos motivos para a desfiliação. Percorri todos os caminhos, sempre com diálogo, como costumo fazer. A nossa defesa vai recorrer da decisão do TRE”.